ANVERSO

Um lado: a face. A imagem que se repete e desmancha.

FESTA

“FESTA” é um trabalho fotográfico que percorre cronologicamente um ano de festividades tradicionais em Castro Laboreiro.

O ARQUÉTIPO DA FORMA

O território e a sua tipologia, desenvolvem um conjunto de conceitos que nos permitem percepcionar aquilo que é a criação de limites, linhas, formas e contrastes, definindo-se novas camadas de leitura.

Do Salto

Numa "cadeira" sem memória, fotografa-se um tempo em construção.

Escritório – uma retrospectiva amanhã

Exposição em colectivo, com Hugo Soares. Arquivo, arquivo-post, obra artística, curadoria e O Bar do João.

SALTO

O projeto “Salto” assenta num conjunto de conceitos que abordam uma relação entre a revisitação a um passado familiar, através das fotografias de família, e a construção documental fotográfica e sonora tendo o território e a fronteira como resposta.

MORTO SEM TIRO 1972-2016

Numa pesquisa entre a memória, a viagem e a fronteira são muitos os pontos que nos propendem para uma construção narrativa entre aquilo que observamos e aquilo que podemos construir.

COMMERCIO

A fotografia, enquanto documento e pensamento, vai de encontro aquilo que é a intenção de estudo sobre um conjunto de características que definem e descrevem a sociedade e as suas particularidades.

MORFO

“Le cadavre du Monsieur que vous voyez ci-derrière est celui de M.

UM LUGAR QUE SE DESENHA

Um lugar que se desenha”: um ensaio visual sobre o território e as suas particularidades demográficas e organizacionais.